França aguarda visita de Ingrid Betancourt

quinta-feira, 3 de julho de 2008 08:36 BRT
 

Por François Murphy PARIS (Reuters) - A política franco-colombiana Ingrid Betancourt, libertada na quarta-feira da guerrilha colombiana, ainda não decidiu quando visitará a França, mas o país espera que ela faça isso logo, disse o governo francês na quinta-feira.

Betancourt, 46, que tem dupla cidadania e é ex-candidata à Presidência colombiana, era a refém mais importante em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Ela foi mantida na selva colombiana por seis anos.

Além dela, 14 outros reféns foram libertados, incluindo três cidadãos norte-americanos, em uma operação na qual soldados colombianos passaram-se por agentes humanitários, enganando a guerrilha e fazendo com que colocassem os reféns em um helicóptero.

"No momento, ela ainda não tomou uma decisão final", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Eric Chavellier, à rede de TV iTele, quando perguntado sobre quando Betancourt visitaria a França.

O caso Betancourt era acompanhado de perto pela França, onde sucessivos governos tentavam assegurar sua libertação. O presidente Nicolas Sarkozy disse, ao ser eleito no ano passado, que a libertação de Ingrid era sua prioridade, embora as tentativas de convencer as Farc a libertá-la não tenham dado certo. Logo após sua libertação, Betancourt agradeceu a Sarkozy e a seu antecessor, Jacques Chirac, assim como o ex-premiê Dominique de Villepin, pelos esforços para ajudá-la, acrescentando: "sonho em voltar para a França".

A França enviou um avião com os parentes da ex-candidata presidencial e com o ministro das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, para encontrar Ingrid na Colômbia. Uma autoridade disse que o gabinete de Sarkozy informou que ela deve voltar para a França nesse avião.

Chevallier, no entanto, foi mais cuidadoso, dizendo que esperava que ela já tivesse se decidido quando o avião chegasse à Colômbia.

"Acho que, nesse intervalo, Ingrid Betancourt vai decidir exatamente quando voltará, mas ela pode querer ficar na Colômbia por um tempo ou não. Vejamos. A decisão é dela", disse Chevallier.

Na noite de quarta-feira, a mídia francesa colocou a foto de Ingrid em suas primeiras páginas. "Livre" foi a manchete que o jornal Le Parisien pôs sobre uma foto de página inteira de Ingrid sorrindo, usando roupas camufladas e um chapéu. A foto foi tirada logo após sua libertação.

Já a primeira página do conservador Le Figaro trouxe a manchete "Ingrid Betancort finalmente livre", com a mesma foto.

O comitê francês de apoio a Betancourt, que fez vigílias e protestos durante o tempo em que ela esteve sequestrada, disse que faria uma comemoração ao meio dia (horário de Brasília) "e por boa parte da noite" para comemorar a libertação.

 
<p>A franco-colombiana Ingrid Betancourt sorri depois de ser liberta em Bogot&aacute;, 2 de julho de  Photo by Stringer</p>