BOLSA EUROPA-Mercados acentuam queda por decisão de juros do BCE

quinta-feira, 3 de julho de 2008 09:10 BRT
 

Por Patrizia Kokot

LONDRES, 3 de julho (Reuters) - As principais bolsas européias acentuavam movimento de queda nesta quinta-feira após a já esperada decisão de aumento de juros pelo Banco Central Europeu (BCE). Os investidores também mantêm foco em dados de postos de trabalho que serã divulgados pelos Estados Unidos mais tarde.

Às 9h04 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3, que acompanha as principais empresas européias, tinha queda de 0,8 por cento, aos 1.158 pontos, derrubado por ações de siderurgia e energia.

A fabricante de aço SSAB SSABa.ST afundava 7,9 por cento e a ArcelorMittal MTP.PA(ISPA.AS: Cotações) tinha queda de 4,5 por cento. A ThyssenKrupp (TKAG.DE: Cotações) cedia 1,5 por cento em meio a especulações de que o preço do aço está perto do pico devido ao desaquecimento da economia global.

"A taxa de crescimento no consumo do aço fora da China recuou para perto do zero", afirmou o analista Alan Coats, do HSBC, acrescentando que espera que os preços do aço caiam para 900 dólares a tonelada métrica até o primeiro trimestre de 2009 ante pico de 1.200 dólares a tonelada métrica no terceiro trimestre de 2008.

Investidores aguardam para às 9h30 (horário de Brasília) os comentários do presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, sobre as decisão que elevou os juros em 0,25 ponto para 4,25 por cento.

"Estamos esperando agora pelo Trichet... se ele falar sobre possíveis riscos de alta da inflação então todo mundo assumirá que novos aumentos de juros são possíveis e eu creio que o euro, então, vai acelerar", disse Tom Vosa, diretor de mercado na nabCapital.

Apesar do petróleo CLc1 se manter perto dos 145 dólares o barril, ações de petrolíferas figuravam entre perdas da sessão. BP (BP.L: Cotações), Total (TOTF.PA: Cotações) e Royal Dutch Shell RDSa.AS perdiam entre 0,8 e 2,2 por cento.

"O acelerado aumento no petróleo acaba com as empresas e a confiança do consumidor e ainda enfraquece as perspectivas de crescimento", disse o estrategista de mercado Bernard McAlinden, da NCB Stockbrokers.   Continuação...