Metalúrgicos páram montadoras no interior de SP por reajuste

quarta-feira, 3 de setembro de 2008 14:06 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Milhares de metalúrgicos no interior de São Paulo pararam a produção de pelo menos quatro montadoras de veículos nesta quarta-feira em protesto contra reajuste salarial proposto pelas empresas. Trabalhadores na região metropolitana também podem decidir por paralisação.

A greve de 24 horas iniciada nesta quarta-feira afetou as fábricas de General Motors, em São José dos Campos, e de Honda, em Sumaré; Toyota, em Indaiatuba; e Mercedes-Benz, em Campinas.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, cerca de 5 mil trabalhadores da GM decidiram pela greve na manhã desta quarta-feira. A paralisação afeta a produção de cerca de 950 a 1.000 veículos, além da produção de motores, segundo informou a entidade.

A assessoria de imprensa da GM confirmou a paralização da fábrica mas evitou comentar o impacto na produção.

Os metalúrgicos do interior de São Paulo pedem reajuste de 18,83 por cento (índice que inclui inflação mais o aumento real) além de garantia de gatilho salarial toda a vez que a inflação atingir 3 por cento.

As montadoras, que negociam representadas pelo Sinfavea, ofereceram na última negociação reajuste de 1,25 por cento real mais inflação, segundo os metalúrgicos. A assessoria de imprensa da entidade informou que não comenta detalhes das discussões com os trabalhadores.

"A proposta das montadoras é rídicula diante do crescimento que vêm tendo desde 2003, tanto em relação a vendas internas e externas e ganho de produtiviodade", disse o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, Jair dos Santos.

"Queremos uma proteção dos salários porque a inflação tende a continuar em alta. Corremos o risco de fechar a campanha salatial em setembro e quando chegar janeiro esse aumento real terá sido corroído pela inflação", disse o sindicalista sobre o gatilho.

Ano passado, as negociações foram encerradas sem greve com aumento de real de cerca 2,5 por cento, informou o dirigente.   Continuação...