Amorim rebate Serra e diz que Mercosul não é entrave ao Brasil

quarta-feira, 3 de setembro de 2008 16:24 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Em resposta às críticas do governador José Serra ao Mercosul, que em sua opinião está fadado ao fracasso e prejudica o Brasil, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou nesta quarta-feira que o governador de São Paulo está mal informado.

Ao discursar na manhã desta quarta-feira no fórum "Como ser o melhor dos Brics", no BNDES, Serra disse que o Mercosul precisaria mudar e classificou de equivocada a obrigação do país de negociar junto com o Mercosul em detrimento de acordos bilaterais.

"Em cada negociação bilateral temos que carregar os parceiros, o Brasil perde flexibilidade. Se a Venezuela entrar, pelo amor de Deus...Imagina a China tendo que carregar Camboja e Laos nas negociações", disse Serra ao criticar a política comercial brasileira.

Segundo Celso Amorim, o Brasil nunca se recusou a negociações bilaterais, mas pelas regras comerciais em vigor é preciso concluir definitivamente a rodada de Doha para depois os países partirem para contatos diretos. O ministro garantiu que o Mercosul não é um entrave ou peso para o Brasil.

"Na medida em que fortalecemos o Mercosul, fortalecemos nossa presença internacional. O Brasil é maior porque é capaz de aglutinar a América do Sul", disse o chanceler a jornalistas no fórum do BNDES.

Amorim anunciou que uma reunião dos ministros de Economia dos Brics será realizada ainda esse ano em Salvador. A decisão, segundo ele, foi tomada durante uma reunião de chanceleres dos quatro países (Brasil, Rússia, Índia e China) em Ekaterinburg, na Rússia, em maio. (Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)