Mercado de trabalho nos EUA mostra fraco crescimento

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008 15:58 BRST
 

Por Herbert Lash

NOVA YORK (Reuters) - O crescimento do emprego no setor privado dos Estados Unidos desacelerou em dezembro e o número de pessoas já recebendo auxílio-desemprego atingiu o maior nível em dois anos, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira.

Mesmo assim, as bolsas de valores norte-americanas subiram à medida que as piores expectativas dos operadores não se materializaram.

O mercado financeiro espera agora um relatório do governo sobre emprego, que será divulgado nesta sexta-feira. "O número mais recente da ADP combina com a idéia de que o crescimento continua a perder força", disse Alan Ruskin, estrategista-chefe do RBS Greenwich Capital, em Greenwich, Connecticut.

Mas isso não resolve "o debate sobre se a economia entra em recessão ou simplesmente registra um período de crescimento muito fraco", acrescentou.

A mediana das estimativas de analistas ouvidos pela Reuters indica geração de 70 mil postos de trabalho em dezembro.

De acordo com a ADP Employer Services, que elabora um relatório sobre o mercado de trabalho em conjunto com a Macroeconomic Advisers LLC, o setor privado abriu 40 mil vagas em dezembro --menos que as 50 mil esperadas por economistas.

Foi a primeira desaceleração no número de empregos no setor privado desde agosto e a segunda leitura mais baixa desde junho de 2003.

O número de norte-americanos em busca de um novo auxílio-desemprego caiu em 21 mil, segundo o Departamento de Trabalho. Os pedidos iniciais recuaram para 336 mil na semana passada, ante 357 mil na semana anterior.

Em outro relatório, o governo informou que as encomendas à indústria dos EUA aumentaram 1,5 por cento em novembro, mais que o esperado.

(Com reportagem adicional de Mark Felsenthal e Nancy Waitz, em Washington, Steven C. Johnson, Rodrigo Campos e Lynn Adler, em Nova York)