Hillary Clinton propõe moratória de execuções hipotecárias

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007 19:47 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - A pré-candidata democrata a Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, propôs nesta segunda-feira uma moratória de 90 dias nas execuções hipotecárias para dar tempo aos tomadores de empréstimos com problemas financeiros para trabalharem juntos com os emprestadores e assim evitar que eles percam suas casas.

A senadora por Nova York resumiu a proposta em uma carta para o secretário do Tesouro norte-americano, Henry Paulson, que está tentando intermediar um acordo com os emprestadores que possa ajudar os tomadores de empréstimos endividados.

A crise das hipotecas de alto risco (subprime) que se estendeu aos tomadores de empréstimos que têm problemas de crédito enfraqueceu os mercados financeiros e pode aprofundar a queda do mercado imobiliário norte-americano, que alguns economistas temem ser capaz de trazer a economia norte-americana para perto de uma recessão.

"É crucial que nós tratemos dessa crise", disse Hillary em sua carta para Paulson. "O governo e indústria hipotecária precisam chegar a um acordo que se equipare à escala do problema. Se você produz um acordo inadequado, ou mesmo falhe na busca de tal acordo, o custo para nossa economia será incalculável."

O Departamento do Tesouro tem pressionado a indústria de hipotecas para que concorde em congelar as taxas de juros para alguns credores que tomaram empréstimos a taxas baixas mas que logo estarão muito mais altas. Estima-se que mais de 2 milhões de tomadores de empréstimos estejam enfrentando este aumento.

(Por Donna Smith)