EUA fecham 80 mil empregos em março e temem recessão

sexta-feira, 4 de abril de 2008 10:27 BRT
 

Por Joanne Morrison

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos fecharam postos de trabalho pelo terceiro mês seguido em março, quando a taxa de desemprego chegou ao maior nível em dois anos e meio, aumentando as evidências de que a crise imobiliária e de crédito podem ter colocado a economia em recessão.

O Departamento de Trabalho informou nesta sexta-feira que em março houve redução de 80 mil empregos fora do setor agrícola, maior declínio em cinco anos.

Azedando ainda mais o panorama, o departamento revisou as perdas dos dois primeiros meses do ano para um total de 152 mil vagas, ante estimativa prévia de 85 mil postos fechados. A taxa de desemprego subiu de 4,8 para 5,1 por cento, a maior desde setembro de 2005.

O relatório de março foi pior que o esperado. Analistas esperavam fechamento de 60 mil postos e alta do desemprego para 5,0 por cento.

"Não parece haver nenhum lado positivo. O relatório mostra que estamos bem no meio de uma recessão que provavelmente vai durar algum tempo", disse Carl Lantz, estrategista de juros do Credit Suisse, em Nova York.

"Nossa expectativa é de que será uma recessão mais longa do que as duas últimas, e estamos apenas no começo."

No primeiro trimestre do ano, a economia fechou em média 77 mil postos de trabalho por mês, em comparação com a abertura média de 76 mil vagas por mês no segundo semestre de 2007, de acordo com Keith Hall, comissário da Agência de Estatísticas Trabalhistas.

O fechamento de vagas foi amplo em março, com as maiores perdas em construção e manufatura. O emprego industrial caiu em 48 mil vagas, maior baixa desde julho de 2003.

(Reportagem adicional de Burton Frierson)