ATUALIZA-Indústria descarta pressão inflacionária da demanda

quarta-feira, 4 de junho de 2008 17:50 BRT
 

(Texto reescrito com comentários do Iedi)

SÃO PAULO, 4 de junho (Reuters) - Não existe pressão inflacionária significativa resultante da relação entre oferta e demanda da indústria brasileira, afirmou o setor nesta quarta-feira, mesmo dia em que o Comitê de Política Monetária (Copom) deve aumentar mais uma vez a taxa de juro.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou em pesquisa que a utilização da capacidade instalada do setor ficou em 83,2 por cento em abril, próximo do patamar de março, de 83,1 por cento.

"A intensificação da atividade industrial não veio acompanhada de expansões adicionais significativas sobre a utilização da capacidade instalada", disse a entidade em nota.

Ao comentar o dado, o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) observou que o indicador vem apontando estabilidade em torno de 83 por cento desde setembro de 2007.

"Dado que ao lado dessa utilização as horas trabalhadas na indústria e o índice de emprego vêm logrando bons resultados, pode-se afirmar que a economia está colhendo hoje os resultados dos investimentos realizados no ano passado e início desse ano", disse o Iedi em nota.

"Não há pressões inflacionárias generalizadas decorrentes de descompasso entre oferta e demanda de produtos da indústria brasileira, é o que os indicadores vêm mostrando ultimamente", acrescentou o instituto.

O Iedi calculou o uso da capacidade nos três quadrimestres do ano passado em relação aos mesmos períodos de 2006, o que mostrou aumentos médios de 1,77 ponto percentual no primeiro quadrimestre; 1,67 ponto no segundo; e de 1,78 ponto no terceiro. No primeiro quadrimestre deste ano, a alta média foi menor, de 1,26 ponto.   Continuação...