BCE mantém juro e não vê preços estáveis antes de 2010

quinta-feira, 4 de setembro de 2008 13:09 BRT
 

Por Marc Jones

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) manteve a taxa de juro em 4,25 por cento na quinta-feira, e o presidente Jean-Claude Trichet disse que não será possível ter a inflação da zona do euro de volta a sua meta até 2010.

O BCE também publicou sua previsão mostrando inflação mais alta que o esperado anteriormente, e crescimento econômico mais baixo para este ano e o próximo. Entretanto, Trichet disse que a perspectiva do BCE para a política monetária e a economia não mudaram significativamente desde o último mês.

"Nós iremos alcançar a estabilidade de preços durante o curso do ano de 2010 --eu não quero ser mais preciso", disse ele em sua entrevista coletiva mensal.

A inflação na zona do euro cedeu levemente em agosto para 3,8 por cento, ante o recorde de 4,0 por cento alcançado em junho e julho, e continua em torno do dobro da meta de estabilidade de preço a médio-prazo, de pouco menos que 2 por cento.

Trichet disse que o conselho diretor de 21 membros foi unânime na sua decisão de manter a taxa de juro, e que não foi "influenciado" por nenhuma decisão de taxa futura, ecoando a linguagem do último mês.

"Nós não temos nenhum viés --nós somente aumentamos a taxa de juros (em julho), e nós aumentamos a taxa de juro de forma precisa para ter certeza que nós estamos considerando os riscos que vemos", disse ele. "Simultaneamente, nós nunca nos comprometemos a princípio e fazemos o que é necessário para manter a estabilidade de preços."

Os riscos à inflação estavam em alta, enquanto os riscos de crescimento eram de queda, disse Trichet.

Entretanto, Trichet não vê efeitos secundários abrangentes da inflação na zona do euro nem riscos de uma recessão nas previsões econômicas da equipe do BCE, que não são formalmente apoiados pelo Conselho Diretor.

Novas projeções do staff do BCE colocam a inflação da zona do euro para 2009 em uma faixa de 2,3 a 2,9 por cento, aumentando a mediana para 2,6 por cento. Para este ano, o BCE prevê uma variação de 3,4 a 3,6 por cento, dando uma mediana de 3,5 por cento.

O crescimento na zona do euro é esperado entre 1,1 e 1,7 por cento, com uma mediana de 1,4 por cento em 2008 e entre 0,6 e 1,8 por cento em 2009, com uma mediana de 1,2 por cento.