Principais ações dos EUA recuam por temor com crédito e inflação

quarta-feira, 4 de junho de 2008 18:14 BRT
 

Por Kristina Cooke

NOVA YORK (Reuters) - As principais ações norte-americanas fecharam em queda nesta quarta-feira, no menor nível desde meados de abril, após o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, ressaltar temores com a inflação e com mais perdas relacionadas à crise de crédito, o que derrubou os papéis financeiros.

As ações de tecnologia se recuperaram após duas sessões de queda, ajudadas por alguns comentários positivos de uma corretora sobre fabricantes de chips e dados mostrando uma inesperada resistência do nível de emprego no setor privado e no de serviços.

O índice Dow Jones teve baixa de 0,10 por cento, a 12.390 pontos. O Standard & Poor's 500 teve oscilação negativa de 0,03 por cento, a 1.377 pontos. O Nasdaq avançou 0,91 por cento, a 2.503 pontos.

O mercado passou grande do parte dia em território positivo, mas reverteu no final da sessão, depois de Bernanke afirmar que os formuladores de política estão preocupados com os sinais de expectativa de inflação de longo prazo.

Os comentários renovaram os temores de que os próximos passos do Fed são no sentido de elevar as taxas de juros.

"Agora a especulação é: 'O Fed irá elevar os juros?' Então, por medo, as pessoas pensam que nós voltamos à antiga palavra 'estagflação"', disse Victor Pugliese, diretor de operações de ações listadas da Broadpoint Securities.

As ações financeiras caíram pelo terceiro dia consecutivo, em meio a temores de mais perdas contábeis, ainda que o centro das preocupações dos últimos dois dias, o Lehman Brothers, tenha recuperado parte dos 18 por cento perdidos desde a quinta-feira passada.