PANORAMA1-Termômetros da indústria local recheiam agenda do dia

quinta-feira, 4 de outubro de 2007 08:31 BRT
 

Por Daniela Machado

SÃO PAULO, 4 de outubro (Reuters) - Dados sobre o comportamento da indústria brasileira recheiam a quinta-feira, dia em que a agenda de indicadores mais ligados ao mercado financeiro dá uma trégua e coloca à prova a recente realização de lucros.

Na quarta-feira, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo caiu com forte volume de negócios, afetada principalmente pelas ações da Companhia Vale do Rio Doce (VALE5.SA: Cotações), e o dólar subiu pelo segunda sessão consecutiva.

O desempenho se deu após um forte rali dos ativos brasileiros nos últimos dias motivado pela percepção global de que o pior da crise de crédito já passou.

Também na véspera, o ex-chairman do Federal Reserve Alan Greenspan fez uma avaliação semelhante. "Estamos começando a ver o frenesi se acalmar... A menos que tenhamos efeitos secundários, o pior acabou", disse em uma conferência em Lisboa.

Nesta manhã, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga a produção industrial de agosto. Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) já mostraram aumento de 1,3 por cento das vendas em agosto sobre julho e uso da capacidade instalada praticamente intacto no patamar de 82 por cento.

A mediana das estimativas de analistas ouvidos pela Reuters aponta crescimento de 0,6 por cento da produção em agosto, após uma queda em julho.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) anuncia o desempenho do setor em setembro.

Juntos, os dados podem dar uma panorama sobre a demanda doméstica --suporte do crescimento do país este ano e alvo de atenção do Banco Central nas decisões sobre o juro básico.   Continuação...