Indústria automotiva começa a se acomodar em agosto

quinta-feira, 4 de setembro de 2008 15:15 BRT
 

Por Vanessa Stelzer

SAO PAULO (Reuters) - A desaceleração da indústria automotiva brasileira, já prevista para o segundo semestre, começou em agosto segundo dados divulgados nesta quinta-feira, refletindo o aperto monetário e uma acomodação natural do setor após os recordes recentes.

Os dados de produção e vendas de automóveis tiveram taxas negativas na comparação mensal, após o melhor mês da história em julho. Apesar disso, o setor continua apostando em números históricos no fechamento de 2008 em razão do bom desempenho visto até então.

As vendas caíram 15,1 por cento em agosto sobre julho, mas subiram 4,0 por cento ante igual mês de 2007, atingindo 244,8 mil unidades, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). A produção recuou 1,0 por cento na comparação mensal e avançou 12,6 por cento na anual, para 314,7 mil unidades.

"Há uma tendência, sobre a qual já falávamos, que começa a se materializar, de um ritmo de crescimento mais cadenciado", afirmou Jackson Schneider, presidente da Anfavea.

"Você não pode ter crescimento sempre na faixa de 20 ou 25 por cento. Você pode ter por um determinado tempo, para atender uma demanda que estava reprimida, e depois você cresce em um ritmo mais normal."

Além dessa acomodação, Schneider disse que o aperto monetário iniciado em abril pelo Banco Central pode estar mostrando os primeiros efeitos sobre a indústria automotiva. "A alta do juro leva um tempo para chegar na ponta do varejo e podemos estar vendo esse tempo agora."

Nos oito primeiros meses do ano, as vendas acumulam alta de 26,4 por cento, em 1,94 milhão de unidades. A produção registra aumento de 20,3 por cento, a 2,32 milhões.

A Anfavea prevê para 2008 vendas de 3,060 milhões de unidades (alta de 24,2 por cento sobre 2007) e produção de 3,425 milhões (avanço de 15 por cento).   Continuação...