JURO-Taxas fecham em alta em meio a cautela pré-Copom

quarta-feira, 4 de junho de 2008 16:08 BRT
 

SÃO PAULO, 4 de junho (Reuters) - As projeções de juros fecharam em alta na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) nesta quarta-feira, após uma sessão de cautela no dia da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) mais negociado foi o julho de 2008, que concentra as apostas na decisão desta noite. Ele subiu de 12,085 por cento para 12,10 por cento.

Com volume reduzido, o DI janeiro de 2009 avançou de 13,10 por cento para 13,13 por cento e o DI janeiro de 2010 subiu de 14,18 por cento para 14,22 por cento.

O mercado espera que o Copom eleve a Selic, atualmente em 11,75 por cento, em pelo menos 0,50 ponto percentual. Parte dos agentes aposta em uma alta de 0,75 ponto percentual.

"Independentemente do resultado que sair hoje, é difícil saber o caminho do juro daqui para a frente. Então o pessoal está reticente em relação às apostas", disse Carlos Cintra, gerente de renda fixa do banco Prosper.

"Esse (DI) julho de 2008, na verdade, só negocia por estar às vésperas de Copom... E ele já tem embutido um aumento de 0,50" ponto percentual, complementou.

Em meio à cautela dos agentes, a alta do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe em maio ajudou a puxar as projeções mais longas para cima. O IPC-Fipe subiu 1,23 por cento no mês, mais do que o dobro do 0,54 por cento de abril.

Cintra ponderou, no entanto, que a queda do petróleo trouxe algum alívio ao mercado, ao diminuir a pressão dos custos de energia para a inflação. Nos Estados Unidos, o barril CLc1 teve queda de mais de 2 dólares.

No mercado aberto, o Banco Central recolheu 22,679 bilhões de reais dos bancos, por 1 dia, a 11,65 por cento ao ano.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Vanessa Stelzer)