Petróleo recua com realização de lucro após superar os US$100

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008 11:21 BRST
 

Por Peg Mackey

LONDRES, 4 de janeiro (Reuters) - O petróleo recuou para menos de 99 dólares o barril nesta sexta-feira, com realização de lucros dos investidores após um rali que elevou os preços para um recorde superior a 100 dólares o barril, aumentando os receios sobre a saúde da economia mundial.

Na quinta-feira, o petróleo marchou para os 100,09 dólares, registrando o segundo dia consecutivo de preço com três dígitos, com suporte do declínio para o menor nível em três anos nos estoques norte-americanos da commodity.

Por volta das 11h05 (horário de Brasília), o petróleo bruto negociado nos EUA CLc1 caía 24 centavos em comparação ao preço de encerramento da sessão anterior, para 98,94 dólares. O petróleo tipo Brent, negociado em Londres LCOc1, subia sete centavos, para 97,67 dólares.

"Com a partida em breve do circo que trouxe o rompimento da barreira dos 100 dólares, o mercado agora deve entrar em um período mais tranquilo de consolidação antes da reunião da Opep no mês que vem", disse Paul Horsnell, do Barclays Capital.

Alguns analistas afirmaram que a relutância da Opep em aumentar o fornecimento de petróleo, apesar da elevação nos preços para além da barreira de 100 dólares aliada às tensões geopolíticas, sustentariam os preços em níveis recordes.

A Organização de Países Exportadores de Petróleo concordou, em seu último encontro, em manter a produção inalterada. Autoridades do grupo dizem que os exportadores podem fazer pouco para controlar os preços do petróleo e que os mercados mundiais estão bem abastecidos.

Os países com grande consumo de petróleo não pretendem liberar suprimentos dos estoques para restringir o rali nos preços, que já dura seis anos.

A Agência Internacional de Energia (AIE), consultora dos países industrializados, repetia a opinião da Casa Branca sobre não haver necessidade de liberar petróleo dos estoques de emergência.

(Reportagem adicional de Fayen Wong em Sydney)