Espanhóis devem controlar conselho da Iberia em oferta da TPG

quinta-feira, 4 de outubro de 2007 09:35 BRT
 

MADRI (Reuters) - Fundos espanhóis que participam de um grupo que busca comprar a companhia aérea Iberia vão controlar tanto o conselho de administração quanto a maior parte do capital da empresa, disse uma fonte da indústria à Reuters, nesta quinta-feira.

A questão em torno de espanhóis ou estrangeiros controlando a Iberia é importante porque determina se os direitos de aterrissagem de aviões da companhia em países fora de União Européia continua válido. Esses acordos são chave para as rotas da Iberia para a América Latina, consideradas as mais rentáveis da companhia.

Os comentários contradizem uma reportagem do jornal espanhol Cinco Dias desta quinta-feira que diz que a British Airways e o líder do consórcio, o fundo de private equity TPG [TPG.UL], teriam a maioria das ações apesar de não deterem controle do conselho.

"O modelo de oferta prevê o controle majoritário do capital e do conselho da Iberia para os parceiros espanhóis", afirmou a fonte. O Cinco Dias citou fontes próximas ao acordo que disseram que o grupo norte-americano TPG e os fundos espanhóis -- Vista Capital, Ibersuizas e Quercus -- conseguiram convencer a British Airways a aumentar sua participação na Iberia de 10 para 15 por cento, assim o TPG e a BA controlariam entre 55 e 60 por cento do capital da Iberia.

Contudo, o jornal publicou que os três acionistas espanhóis, Vista Capita, Quercus e Ibersuizas, controlariam 60 por cento das cadeiras do conselho, com o restante ficando com a BA e o TPG.

Pela legislação atual, empresas estrangeiras podem deter a maioria do capital da Iberia desde que acionistas espanhóis controlem o conselho, informaram fontes na indústria.

Contudo, o panorama para a texana TPG é complicado pelo pacto de "céus abertos" entre a União Européia e os Estados Unidos, que estabelece que a partir de 30 de março de 2008, empresas fora da União Européia não podem deter mais de 25 por cento de companhias aéreas da região, ante os 49 por cento permitidos hoje.

O Cinco Dias também citou que o presidente do conselho da Iberia, Fernando Conte, disse em um grupo de trabalho que o consórcio deve apresentar uma oferta este mês, depois de um indicativo de 3,6 euros por ação da empresa divulgado em março, confirmando o que fontes disseram à Reuters anteriormente.