Ações européias têm menor fechamento desde 22 de novembro

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008 15:41 BRST
 

LONDRES (Reuters) - As bolsas européias fecharam em queda de quase 2 por cento nesta sexta-feira em sua pior desvalorização em quase um mês, à medida que preocupações sobre a perspectiva do crescimento econômico norte-americano ressurgiram após a divulgação de fracos dados de empregos.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações das empresas européias, caiu 1,83 por cento, para 1.457 pontos, sua pior queda diária desde meados de dezembro e seu fechamento mais baixo desde 22 de novembro.

Os bancos sofreram a pior queda no mercado mais amplo, no qual todos os 16 maiores índices da Europa Ocidental fecharam em território negativo.

"Parece apenas haver uma ampla liquidação de qualquer coisa que esteja exposta ao consumidor ou seja cíclica de qualquer maneira", disse Andrea Williams, chefe de ações européias do Royal London Asset Management.

Entre os bancos, ações do UBS caíram 3 por cento, o Barclays perdeu 4,3 por cento, o Santander recuou 1,5 por cento e o Credit Suisse cedeu 1,8 por cento.

Dados divulgados esta manhã mostraram que a economia dos Estados Unidos criou bem menos empregos do que o esperado, enquanto uma análise separada sobre a atividade no setor de serviços indicou desaceleração no crescimento.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em queda de 2,02 por cento, a 6.348 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX retrocedeu 1,26 por cento, para 7.808 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 caiu 1,79 por cento, para 5.446 pontos.   Continuação...