EDP está otimista com oferta de ações de unidade de renováveis

sexta-feira, 4 de abril de 2008 08:15 BRT
 

Por Sérgio Gonçalves

LISBOA (Reuters) - A EDP-Energias de Portugal está otimista quanto à oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da EDP-Renováveis -- quarta eólica mundial -- e mantém a perspectiva de realizar a operação no início de junho, disse o diretor financeiro da EDP, Nuno Alves.

Em entrevista durante o Reuters Latin America Investment Summit, o executivo admitiu que, apesar das condições de mercado estarem muito voláteis, estão "melhores do que há duas semanas" para fazer este IPO que foi lançado em janeiro. Ele prevê a venda de 20 a 25 por cento através de um aumento de capital.

"Estou mais otimista, estamos otimistas desde o início da operação. A nossa perspectiva continua a ser ir para o mercado por volta de junho, no princípio de junho", disse Alves.

"O nosso objetivo numero 1 é, em junho, fazer o IPO das renováveis, pois continuamos pensando que tem razão de ser, tem o seu espaço e tem a sua procura. A decisão de avançar ou não, só a tomaremos lá para maio", adiantou.

Esta subsidiária de renováveis da EDP inclui a européia NEO Energia e a americana Horizon comprada em 2007, integrando também uma mini-hídrica e devendo, no futuro, vir a absorver os negócios de "energia solar" e de "energia das ondas".

Nuno Alves realçou que a EDP-Renováveis oferece aos investidores "um investimento exclusivamente em eólica, não tem contaminação de mais nenhum outro negócio e tem uma dimensão grande pois, se fosse cotada hoje no PSI20, seria uma das três a cinco maiores".

"Tem também um perfil de risco baixo pois os cash-flows são previsíveis e esta sua elevada previsibilidade dá para ter uma perspectiva de garantia de retorno melhor que o normal", afirmou.

O diretor lembrou que a maior parte da dívida da EDP-Renováveis é relativa a empréstimos da EDP, e a intenção é que parte do IPO "seja para pagar a dívida à EDP e o restante para financiar o crescimento da EDP-Renováveis".   Continuação...