União Européia vê impacto limitado da crise sobre crescimento

quinta-feira, 4 de outubro de 2007 11:23 BRT
 

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS, 4 de outubro (Reuters) - O impacto da crise global de crédito sobre a economia da zona do euro deve ser moderado, avaliou a Comissão Européia nesta quinta-feira, prevendo uma recuperação do crescimento no segundo semestre de 2007 após um segundo trimestre mais lento.

Em um relatório trimestral sobre a economia dos 13 países que utilizam o euro, o órgão executivo da União Européia apontou que a confiança dos consumidores e das empresas se enfraqueceu nos últimos meses, sugerindo que o ciclo econômico já atingiu o pico. Mas a Comissão acrescentou que o crescimento continua bem acima das médias de longo prazo.

"Olhando para frente, os fundamentos da zona do euro continuam fortes e a confiança das empresas e dos consumidores diminuiu, mas continua alta e pode suportar uma recuperação do crescimento na segunda metade do ano", afirmou o relatório.

O documento reiterou a última previsão para o crescimento da zona do euro neste ano, de 2,5 por cento. A estimativa foi revisada para baixo em setembro --antes era de 2,6 por cento-- por causa do impacto esperado da crise global de crédito.

"A evolução e a duração da atual crise são difíceis de prever e vão depender da escala e da distribuição das perdas à medida que elas gradativamente apareçam."

A Comissão afirmou ainda que os lucros robustos dos últimos anos deram aos bancos da zona do euro um colchão financeiro significativo para lidar com a turbulência. Além disso, a moderação dos salários aumentou a lucratividade das empresas não-financeiras.

Os gastos dos consumidores devem ser sustentados pelo crescimento do mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que a economia como um todo parece estar mais resistente a choques.

"De modo geral, as condições de crédito mais apertadas podem desacelerar o crescimento econômico de algum modo no próximo ano, mas o impacto deve ser moderado", afirmou o relatório.