Indústria se recupera, mas avanço pode afetar inflação

quinta-feira, 4 de outubro de 2007 12:01 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Renato Andrade

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - Após uma inesperada queda em julho, a indústria brasileira registrou forte expansão em agosto, o que reforça as preocupações sobre os efeitos do aquecimento sobre a inflação do país.

As fábricas ampliaram em 1,3 por cento a produção em agosto, depois da queda de 0,4 por cento em julho, informou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O crescimento mensal ficou bem acima das expectativas do mercado. O mesmo aconteceu na comparação com agosto do ano passado, em que a atividade expandiu-se 6,6 por cento, superando a projeção de 5,4 por cento de analistas.

Mais uma vez, os bens de capital influenciaram o desempenho geral da indústria. A produção desses itens avançou 4 por cento frente a julho e 21 por cento ante o mesmo período de 2006.

"O crescimento de bens de capital é difuso e é uma expansão que demonstra uma maior qualidade. Quanto mais espalhado, mais são os efeitos em cadeia sobre a economia e isso é uma demonstração também de maior confiança dos investidores", afirmou Silvio Sales, economista do IBGE.

Thais Marzola Zara, economista da Rosenberg & Associados, vê "um quadro muito positivo para a indústria" levando em conta os dados do IBGE e os divulgados na véspera pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O aquecimento da produção industrial, que acumula no ano ganho de 5,3 por cento e nos últimos 12 meses avanço de 4,5 por cento, pesa sobre as perspectivas para o juro no país.

CRESCIMENTO X INFLAÇÃO   Continuação...