Para FAO, alta de alimentos ameaça A.Latina mas é oportunidade

sexta-feira, 4 de julho de 2008 16:37 BRT
 

SANTIAGO, 4 de julho (Reuters) - O forte avanço dos preços dos alimentos está acelerando a inflação na América Latina, castigando especialmente os mais pobres, mas também representa uma oportunidade para o impulso das exportações, avaliou nesta sexta-feira a unidade regional da FAO.

Em um boletim do Observatório Regional de Segurança Alimentícia e Nutricional, o braço de alimentação e agricultura das Nações Unidas disse que os preços dos alimentos têm subido mais do que a inflação geral.

"Considerando 16 economias da região, a média da inflação acumulada geral e de alimentos em maio de 2008 ficou em 5 por cento e 7,2 por cento, respectivamente. Nos últimos 12 meses a variação de cada um dos índices foi de 11,1 por cento e 17,5 por cento", afirmou a FAO em comunicado.

Em Bolívia, Colômbia, Brasil, Chile, Perú, Panamá e Venezuela os preços dos alimentos superaram os preços gerais em pelo menos dois pontos percentuais.

A FAO avaliou, no entanto, que a região está melhor preparada para enfrentar choques econômicos do que no passado, graças a um superávit em conta corrente, finanças públicas mais ordenadas, menor dívida pública e dívida externa também reduzida, assim como maiores reservas internacionais.

Segundo as estimativas do organismo, a América Latina responde por 8 por cento de toda a produção mundial de cereais, quase toda na América do Sul.

(Reportagem de Rodrigo Martínez)