Palin ironiza Obama e republicanos se preparam para McCain

quinta-feira, 4 de setembro de 2008 08:53 BRT
 

Por Steve Holland

ST. PAUL, Estados Unidos (Reuters) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, tem uma nova aliada nos ataques ao rivais democratas. Seu nome é Sarah Palin e ela bate forte.

As críticas irônicas de Palin ao candidato democrata, Barack Obama, e à elite de Washington animaram os republicanos, que buscam sinais de que ela e McCain possam vencer as eleições presidenciais de 4 de novembro.

Agora é a vez de McCain. O senador pelo Arizona fará um discurso que será transmitido pela TV na noite de quinta-feira, no qual aceitará a indicação republicana à Presidência.

Palin, 44, governadora do Alasca e candidata a vice-presidente na chapa de McCain, ouviu gritos de "Sarah, Sarah" na quarta-feira em sua estréia no cenário político nacional. Ela adotou uma retórica anti-Obama, que vinha sendo deixada de lado na convenção republicana de quatro dias.

Ela rebateu as críticas de Obama de que sua experiência como governadora e ex-prefeita da pequena cidade de Wasilla, no Alasca, não era equivalente a dele, como líder de uma grande campanha presidencial.

"Acho que a prefeita de uma grande cidade é algo como um 'organizador comunitário', exceto por você ter responsabilidades de verdade", disse ela, numa referência ao início da carreira de Obama em Chicago.

Os democratas afirmam que McCain, ao escolher a relativamente desconhecida e pouco testada Palin, perdeu o argumento de que Obama é muito inexperiente para ser presidente.

Palin também criticou o estilo retórico de Obama, destituído de detalhes sobre para onde ele pretende levar o país caso seja eleito, embora ela própria tenha oferecido poucas especificidades políticas.   Continuação...