April 4, 2008 / 7:27 PM / 9 years ago

Dólar cai com cenário externo e desvaloriza 2% na semana

3 Min, DE LEITURA

Por Fabio Gehrke

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda pela quarta sessão consecutiva nesta sexta-feira acompanhando os movimentos dos mercados externos que se animaram com a possibilidade de novos cortes no juro norte-americano após a divulgação de dados apontando para uma possível recessão nos Estados Unidos.

A moeda norte-americana caiu 0,47 por cento, a 1,710 real. Na semana, a divisa acumulou baixa de 1,95 por cento.

O governo norte-americano divulgou nesta sexta-feira dados piores do que o esperado sobre o mercado de trabalho do país. A taxa de desemprego nos EUA subiu de 4,8 para 5,1 por cento, a maior desde setembro de 2005.

No entanto, investidores viram estes números como um incentivo para mais cortes da taxa de juros do Federal Reserve, impulsionando as principais bolsas internacionais.

Em Wall Street, as ações operavam em território positivo, assim como o principal índice da bolsa paulista.

"Em relação aos surpreendentes números do payroll, mostrando que eles (os EUA) já estão em recessão, isso deve demandar mais cortes de juros (do Fed)", disse Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora de Câmbio.

Galhardo lembrou que um corte na taxa de juro norte-americana elevaria ainda mais a distância entre esta e a taxa praticada no Brasil, favorecendo as operações de arbitragem e atraindo ainda mais capital para o país.

"Mas se não houver surpresas na semana que vem, (o dólar) deve ficar nesse nível. O pessoal não vai deixar romper essa barreira de 1,70 tão facil", completou o gerente.

Segundo Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento, os investidores estão acreditando que a economia norte-americana já atingiu "o fundo do poço", e devem ficar ligados nos resultados das instituições para avaliar a evolução da crise.

Nobrega ressaltou que, com um cenário positivo, aliado às notícias de um possível grau de investimento para o Brasil e às expectativas de novos cortes no juros norte-americanos e de um aumento do juro interno, "o real deve se valorizar ainda mais frente ao dólar".

No meio da sessão, o Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista, e definiu a taxa de corte a 1,7081 real.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below