Lehman vê baixas contábeis mundiais em até US$400 bi em 2008

sexta-feira, 4 de abril de 2008 15:00 BRT
 

NOVA YORK, 4 de abril (Reuters) - Estrategistas do Lehman Brothers prevêem que as instituições financeiras ao redor do mundo registrarão cerca de 400 bilhões de dólares em dívida de baixa qualidade até o fim de 2008, e afirmam que estimativas de que essas perdas possam chegar a 1,2 trilhão de dólares não parecem plausíveis.

Se o Lehman estiver correto, o pior das baixas contábeis em bancos, corretoras e seguradoras pode já ter passado.

Mas muito dos mercados financeiros mais arriscados podem não ter atingido seu ponto mais baixo, apontaram os estrategistas do Lehman encabeçados pelo estrategista-chefe de renda fixa global, Jack Malvey.

O Goldman Sachs estimou no mês passado em cerca de 1,2 trilhão de dólares os prejuízos globais com crédito. Nos Estados Unidos, bancos, corretoras, fundos hedge e empresas financiadas pelo governo, como a Fannie Mae FNM.N, podem responder por 460 bilhões de dólares de perdas, disse o Goldman.

A projeção do Lehman é bem menor. "Estimativas entre 600 bilhões e 1,2 trilhão de dólares parecem altamente improváveis, em nossa opinião", dizem os estrategistas do Lehman.

Instituições financeiras debilitadas pela crise global de crédito registraram 291,8 bilhões de dólares em baixas contábeis até o momento, segundo o Lehman. Isso tem sido parcialmente compensado por cerca de 181,6 bilhões de dólares em injeções, mas ainda deixa os bancos com um capital cerca de 110 bilhões de dólares menor.

(Reportagem de Dan Wilchins e Sweta Singh)