TRE identifica mais quatro currais eleitorais do crime no Rio

quinta-feira, 4 de setembro de 2008 19:30 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro identificou mais quatro áreas onde funcionam currais eleitorais, em que traficantes de drogas ou milícias obrigam os moradores a votar em candidatos ligados ao crime e proíbem outros candidatos de fazer campanha.

No total, já são 24 os locais identificados pelo TRE e que serão monitorados por tropas federais que chegam ao Rio na semana que vem.

Pela primeira vez, o TRE identificou um curral eleitoral fora da capital.

"Nossas investigações apontam agora para Duque de Caxias, estendendo (essa situação) para o Grande Rio", disse o desembargador e presidente do TRE-RJ, Roberto Wider, que preferiu não revelar as outras localidades onde estaria ocorrendo cerceamento a candidatos.

Wider disse ainda que o TRE vai participar de reunião em Brasília, na próxima semana, com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, e com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Carlos Ayres Britto, na qual apresentará relatório com essas 24 áreas que contarão com a presença das Forças Armadas.

"O planejamento é para que (as tropas) cheguem em menos de uma semana. Serão forças móveis e itinerantes que vão nos ajudar", disse o desembargador.

O presidente do TRE-RJ afirmou que com a prisão pela Polícia Federal de alguns dos envolvidos, o poder das milícias foi enfraquecido.

"A meu ver, os problemas estão menos graves. As denúncias têm chegado, mas não com a mesma intensidade do começo", salientou.

Ainda segundo Wider, outros candidatos ligados a milícias ou ao tráfico estão sendo investigados pelo TRE e pela PF. "Novas prisões poderão acontecer", disse ele. (Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)