PSDB quer frear confronto Alckmin-Kassab visando 2o turno

sexta-feira, 5 de setembro de 2008 09:05 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO (Reuters) - O crescimento do prefeito Gilberto Kassab (DEM) e a queda de Geraldo Alckmin (PSDB) nas pesquisas de intenção de voto à prefeitura de São Paulo preocupa a direção do PSDB, que pretende evitar a subida de tom entre os dois candidatos.

A recomendação a Alckmin é que centre o confronto na candidata Marta Suplicy (PT), que lidera a disputa, e deixe a porta aberta para uma aliança com o DEM no segundo turno.

O assunto foi tema de reunião da Executiva nacional do PSDB, na quarta-feira, em Brasília, capitaneada pelo senador Sérgio Guerra, presidente da legenda.

"As duas candidaturas não podem centrar fogo uma na outra e sim na Marta. Senão, retira votos e cria tensão para o segundo turno", disse à Reuters o deputado Walter Feldman, tucano pró-Kassab e secretário municipal de Esportes.

Ele chama de "acontecimento inédito" ter duas candidaturas na mesma base de apoio, mas afirma que a falta de acordo não pode chegar ao eleitor.

Na análise do deputado, até agora o PSDB tinha como certo que Alckmin iria ao segundo turno contra Marta, mas depois que Kassab começou a crescer na preferência do eleitor o tucano deu mostras de ataque à gestão da prefeitura, o que já foi arrefecido.

"É nesse momento que a turma do deixa disso tem que atuar", disse Feldman, que considera Guerra o principal articulador desta determinação.

O deputado Edson Aparecido, coordenador geral da campanha de Alckmin, acredita que ataques só afastam o eleitor. "Nos últimos dias, Marta e Kassab caíram (nas pesquisas internas realizadas pela campanha) porque estão se batendo e o eleitor não gosta disso."   Continuação...