Economia dos EUA preocupa, mas mercados na Ásia avançam

terça-feira, 4 de dezembro de 2007 07:54 BRST
 

Por Ian Chua

HONG KONG (Reuters) - Preocupações renovadas com a economia dos Estados Unidos pressionaram os mercados de ações na Ásia nesta terça-feira e ajudaram a impulsionar o valor do iene e de títulos de governo depois que investidores buscaram abrigo em ativos menos arriscados.

"As pessoas ainda estão muito hesitantes em retornar ao mercado. Há ainda muita volatilidade e muita cautela dos investidores", disse Juliette Saly, analista de mercado da CommSec, em Sydney.

A bolsa de TÓQUIO fechou em queda de 0,95 por cento, a 15.480 pontos, mas o índice MSCI que reúne os outros mercados da região Ásia-Pacífico subia 0,15 por cento.

Adicionando peso às preocupações do mercado está incerteza sobre os planos dos Estados Unidos para apoiar seu mercado de hipotecas. O secretário do Tesouro do país informou que espera que a estratégia esteja pronta até o final da semana.

As ações do setor financeiro interromperam ganhos recentes. O maior banco de investimento da Austrália, Macquarie Group recuou 1,44 por cento, o japonês Mizuho Financial caiu por 0,82 por cento e o sul-coreano Shinhan Financial teve desvalorização de 2,34 por cento.

O setor de exportação também ficou pressionado por causa das preocupações sobre a economia do maior mercado da região, os Estados Unidos. A Toyota caiu 1 por cento depois de divulgar queda de 7 por cento nas vendas norte-americanas de sua marca de luxo Lexus.

Investidores também venderam ações de grandes mineradoras com a fraqueza nos preços dos metais. BHP Billiton caiu 0,23 por cento, Rio Tinto se desvalorizou em 2,59 por cento e a Toho Zinc recuou 4,4 por cento.

A bolsa de SEUL foi na contramão de Tóquio e fechou em alta de 0,81 por cento. Enquanto isso, o mercado em Hong Kong subiu 0,77 por cento, XANGAI avançou 0,97 por cento e TAIWAN registrou valorização de 0,79 por cento.

CINGAPURA teve alta de 0,18 por cento e SYDNEY encerrou praticamente estável, com oscilação negativa de 0,04 por cento.