Disputa trava comércio da Colômbia para a Venezuela

terça-feira, 4 de março de 2008 14:22 BRT
 

Por Manuel Hernandez

LA RAYA, Venezuela (Reuters) - O comércio da Colômbia com a Venezuela foi suspenso ao longo da fronteira em meio à crise diplomática que ameaça a estabilidade da região andina, disseram testemunhas e uma associação de transporte nesta terça-feira.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, enviou tanques à fronteira após uma incursão militar da Colômbia ter matado rebeldes esquerdistas colombianos em território equatoriano, elevando a tensão em uma disputa que Chávez disse que pode levar à guerra.

Arsenio Manzanero, diretor da principal associação de transporte da Venezuela, disse que o movimento de bens foi suspenso em três postos da fronteira porque os agentes aduaneiros venezuelanos não estão trabalhando.

"Eles fecharam as operações de aduana em Paraguachon, San Antonio e Urena, o que significa que nenhum caminhão pode passar," disse Manzanero em entrevista por telefone.

Caminhões formavam longas filas no lado colombiano da fronteira, mas os automóveis atravessavam para a Venezuela normalmente.

A agência de tributos da Venezuela, Seniat, também responsável pela aduana, não prestou esclarecimentos sobre a situação. Autoridades militares e aduaneiras presentes na fronteira também se recusaram a comentar o assunto com a Reuters.

"Os agentes da aduana não estão trabalhando então não podemos fazer nada", disse John Jairo Lodono, 46, um caminhoneiro esperando no lado colombiano da fronteira para transportar uma carga de solvente químico para a Venezuela.

San Antonio, no Estado venezuelano de Tachira, é o principal ponto de passagem de mercadorias colombianas para a Venezuela.

A Colômbia movimenta cerca de 6 bilhões de dólares por ano em comércio com a Venezuela, país que aumentou sua dependência das importações colombianas para garantir o fornecimento de produtos básicos, como leite e frango.

(Reportagem adicional de Jorge Silva e Deisy Buitrago)