Membros da Opep mantêm em aberto possível aumento da produção

terça-feira, 4 de dezembro de 2007 12:06 BRST
 

Por Stanley Carvalho e Thomas Ashby

ABU DHABI (Reuters) - Os grandes produtores de petróleo do golfo Pérsico que fazem parte da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) estão deixando em aberto a opção de aumentar a produção da commodity, o que pode levar os preços a bater ou não os 100 dólares por barril.

Os ministros de petróleo, reunidos para encontro na quarta-feira, adotaram uma linha coordenada, insistindo que a oferta é suficiente para atender a demanda de combustível para o inverno do Hemisfério Norte e que a alta dos preços é causada por fatores fora do controle da organização.

Mas os principais produtores do Golfo, liderados pela Arábia Saudita, evitam comentar se a Opep vai optar por um aumento da produção, na tentativa de conter os preços.

Ainda que a queda do petróleo para 89 dólares o barril, após o recorde de 99,29 dólares há duas semanas, tenha reduzido as apostas por mais petróleo da Opep, as potências do cartel ainda não mostraram o que têm na manga.

"Todas as opções estão abertas", disse Ali al-Naimi, ministro do petróleo do maior produtor do cartel, a Arábia Saudita.

Os países consumidores, preocupados com a desaceleração do crescimento norte-americano, acreditam que a Opep pode ajudar a aliviar a alta dos preços de energia com o aumento das exportações.

Alguns membros da Opep podem imaginar que seus interesses estarão melhores servidos por uma queda adicional dos preços, que sustentaria a economia mundial em meio à desaceleração do ciclo de 5 anos de crescimento.

Outros podem preferir manter os preços em um nível alto, argumentando que o crescimento dos últimos anos é prova de que a economia pode lidar bem com a alta do petróleo.   Continuação...