Sob tensão, começa preparativo para a cúpula do Grupo do Rio

terça-feira, 4 de março de 2008 18:24 BRT
 

Por Manuel Jiménez

SANTO DOMINGO, 4 de março (Reuters) - O Grupo do Rio iniciou na terça-feira as reuniões preparatórias para a cúpula de sexta-feira em Santo Domingo, um evento que deve ser marcado pela crise diplomática entre Venezuela, Equador e Colômbia.

Os coordenadores dos 19 países do grupo se reuniram na sede do ministério dominicano de Relações Exteriores para discutir o esboço da Declaração de Santo Domingo, que abordará temas de energia, desastres naturais e desenvolvimento.

"Não descarto a possibilidade de que surjam outros temas, especialmente quando há na comunidade internacional grande expectativa por uma crise diplomática", disse o embaixador venezuelano em Santo Domingo, Francisco Belisario Landis.

Os incidentes envolvidos na crise --Álvaro Uribe (Colômbia), Rafael Correa (Equador) e Hugo Chávez (Venezuela) - são esperados na cúpula.

A crise começou depois de uma ação militar colombiana contra a guerrilha Farc em território equatoriano, que resultou na morte do dirigente rebelde Raúl Reyes. Quito e Caracas reagiram rompendo relações com Bogotá e enviando tropas à fronteira com a Colômbia.

Carlos Enrique Muñoz, embaixador do Equador em Santo Domingo, disse à Reuters que Correa deve desembarcar na cidade na quinta-feira à noite. Já a embaixada da Colômbia informou que ainda aguarda a confirmação da visita de Uribe.

Belisario Landis disse que a cúpula consta "na agenda presidencial", e que o tratamento dado à crise diplomática na cúpula dependerá "do consenso presidencial, mas também do consenso dos organizadores" (ou seja, da República Dominicana).

"Mas penso que pode surgir de alguma forma este tema, pode propô-lo qualquer outrs, não necessariamente a Venezuela", afirmou.

Autoridades dominicanas disseram na terça-feira que outros chefes de Estado já confirmaram presença, entre eles os de Panamá, México, Argentina, Chile, Guiana, Nicarágua, El Salvador, Honduras, Guatemala e Haiti.