Mantega: Estados teriam que arcar com prejuízo da CPMF

terça-feira, 4 de dezembro de 2007 16:42 BRST
 

BRASÍLIA, 4 de dezembro (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira que os Estados serão prejudicados caso a prorrogação da CPMF seja rejeitada, já que o governo federal não pode arcar com os prejuízos sozinho.

"Para manter o (superávit) primário, vamos ter que aumentar o primário do Estados e conseguir manter as contas públicas em equilíbrio", disse ele a jornalistas ao chegar ao ministério.

Mantega acrescentou que isso ainda não foi discutido com os governadores.

Ele ressaltou, no entanto, que ainda se trata de uma possibilidade e que poderia ser feito por meio de uma redução na autorização de gastos dos Estados.

O ministro reiterou que a não prorragação da CMPF seria negativa para a população.

"Ninguém acredita que vamos fazer o milagre de absorver 40 bilhões (de reais arrecadados com a CPMF) sem ter perdas para todos, principalmente para a população de baixa renda."