Barclays admite derrota e consórcio de bancos deve levar o ABN

sexta-feira, 5 de outubro de 2007 10:01 BRT
 

Por Clara Ferreira-Marques e Niclas Mika

LONDRES/AMSTERDÃ (Reuters) - O banco britânico Barclays admitiu derrota nesta sexta-feira na disputa de sete meses pelo holandês ABN Amro, deixando o trio de bancos liderado pelo Royal Bank of Scotland mais perto de fechar a maior aquisição da história do setor.

O desfecho da batalha pelo ABN era amplamente esperada, depois que uma queda no preço das ações do Barclays fez sua oferta cair abaixo dos 71 bilhões de euros (100 bilhões de dólares) da proposta do consórcio liderado pelo Royal Bank of Scotland .

Em comunicado, o Barclays disse que recebeu somente 0,2 por cento das ações do ABN quando sua oferta fechou na quinta-feira.

O banco britânico era o comprador preferido pelo ABN, já que planejava manter seus negócios inteiros, mas o banco holandês tomou uma posição neutra depois que a diferença entra as duas ofertas se ampliou.

O Barclays receberá do ABN 200 milhões de euros referentes à taxa de quebra de contrato, que o banco afirma exceder significativamente o custo da oferta.

Preparado para encerrar a saga e focar em seu crescimento orgânico, o Barclays disse estar confiante e que retomará um programa de recompra no valor de até 1,55 bilhão de libras (3,16 bilhões de dólares).

A oferta do RBS e seus parceiros, o Fortis NV e o espanhol Santander, termina às 10h, horário de Brasília.

O grupo tem até a próxima quarta-feira para detalhar os resultados da proposta e até o fim da próxima semana para declarar a oferta como incondicional.