Estrangeiro volta e faz dólar encostar em R$1,800

sexta-feira, 5 de outubro de 2007 16:48 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - Um relatório positivo sobre a economia dos Estados Unidos renovou a confiança dos investidores estrangeiros e colocou o dólar novamente no menor patamar em mais de sete anos frente ao real.

A moeda norte-americana fechou a sexta-feira em baixa de 1,15 por cento, a 1,804 real. É o menor valor desde 15 de agosto de 2000.

No ano, o dólar acumula queda de 15,5 por cento.

Após alguns dias de ajustes de posição e realização de lucros, a sexta-feira reservou para os investidores o evento econômico mais aguardado da semana: o relatório sobre a abertura de postos de trabalho nos Estados Unidos.

Os números mostraram um mercado de trabalho melhor do que se pensava em setembro, aumentando a confiança entre os agentes de que a maior economia do mundo está mais distante de uma recessão.

Esse otimismo no exterior contagiou os negócios no Brasil. Em meio à forte queda do risco-país, a vinda de estrangeiros para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fez o dólar despencar.

"(Houve um) forte movimento hoje de fluxo, com o mercado comemorando um dado muito positivo", disse Rodrigo Nassar, gerente da mesa financeira da Hencorp Commcor Corretora.

Em setembro, o ingresso de estrangeiros na Bovespa depois do corte de 0,50 ponto percentual do juro nos Estados Unidos ajudou a equilibrar o mercado de câmbio.

Para os agentes de mercado, essa tendência deve continuar nas próximas sessões caso o cenário externo favorável permaneça.

Mesmo com a forte queda, no entanto, o dólar respeitou o patamar de 1,80 real. Para Renato Schoemberger, operador de câmbio da Alpes Corretora, o mercado tem força para romper esse suporte já na próxima semana, mas a cotação considerada baixa da moeda norte-americana tem atraído importadores --que ajudam a limitar a valorização do real.