Presidente do Citigroup renuncia; banco pode perder US$11 bi

segunda-feira, 5 de novembro de 2007 10:07 BRST
 

Por Jonathan Stempel e Dan Wilchins

NOVA YORK (Reuters) - O presidente do conselho e presidente-executivo do Citigroup, Charles Prince, anunciou sua renúncia no domingo, depois que o banco informou que pode registrar 11 bilhões de dólares em baixas contábeis ligadas a empréstimos hipotecários de alto risco, além das perdas de 6,5 bilhões de dólares já divulgadas no trimestre passado.

Robert Rubin, ex-secretário do Tesouro norte-americano que presidia o comitê executivo do Citigroup, assumirá a presidência do conselho, enquanto Sir Win Bischoff, que comanda as operações européias do Citigroup, assumirá interinamente a presidência-executiva da instituição.

O Citigroup informou que espera registrar como baixas contábeis entre 5 bilhões e 7 bilhões de dólares depois da incidência de impostos --o equivalente a quase três ou quatro meses de lucro-- de sua exposição de 55 bilhões de dólares a ativos vinculados a hipotecas de alto risco concedidas nos Estados Unidos.

Antes de impostos, as perdas somam entre 8 bilhões e 11 bilhões de dólares e podem subir caso a situação dos mercados piore, informou o maior banco dos EUA. Os 6,5 bilhões de dólares que o Citigroup havia contabilizado como prejuízo anteriormente se relacionavam a hipotecas de alto risco, perdas com empréstimos e outras dívidas.

"Eu sou responsável pela conduta de nossos negócios", disse Prince em memorando distribuído entre os funcionários do banco. "A dimensão dessas perdas torna a renúncia o único caminho honroso que posso tomar como presidente-executivo. Foi essa minha recomendação ao conselho."

O Citigroup, cujo nível de capitalização vem sendo questionado, antecipa que até junho de 2008 retornará a níveis normais de capital, ante previsão anterior de que esse retorno aconteceria no começo do ano que vem. A instituição não pretende reduzir seu dividendo trimestral de 0,54 dólar por ação.

"É um choque", disse Ralph Cole, administrador de carteira de investimentos na Ferguson Wellman Capital Management. "A dimensão da baixa contábil é muito surpreendente, bem como a rapidez com que o mercado de crédito de alto risco está se deteriorando. Não se pode dizer que será a última vez que isso vai acontecer (no setor financeiro). Imagino que significado a notícia terá para outras instituições."

A saída de Prince acontece depois que ele informou a investidores em 15 de outubro, quatro dias depois de uma reformulação administrativa na unidade de banco de investimento, que o conselho do Citigroup tinha um "bom e sustentável plano estratégico" e que novas mudanças administrativas não eram necessárias.   Continuação...

 
<p>O presidente-executivo do Citigroup, Charles Prince, em confer&ecirc;ncia em T&oacute;quio, dia 25 de outubro. Prince anunciou sua ren&uacute;ncia no domingo, depois que o banco informou que pode registrar 11 bilh&otilde;es de d&oacute;lares em baixas cont&aacute;beis ligadas a empr&eacute;stimos hipotec&aacute;rios de alto risco. Photo by Yuriko Nakao</p>