CÂMBIO-Dólar sobe por preocupação com bancos no exterior

segunda-feira, 5 de novembro de 2007 10:13 BRST
 

SÃO PAULO, 5 de novembro (Reuters) - A preocupação global com as condições do setor financeiro norte-americano puxava a alta do dólar nesta segunda-feira, apesar da perspectiva de entrada de moeda no país.

Às 10h09, o dólar BRBY tinha alta de 0,23 por cento, para 1,752 real. Na última sessão antes do feriado de Finados, a divisa já havia subido 0,58 por cento.

O mercado de câmbio acompanhava o aumento da cautela com as instituições financeiras no exterior. Desde a metade do ano, alguns dos maiores bancos e corretoras do mundo têm desagradado os investidores com perdas associadas ao mercado de crédito de alto risco (subprime).

O mercado assistiu até à renúncia do chairman e presidente-executivo do Citigroup (C.N: Cotações), maior banco norte-americano em ativos, devido à perspectiva de que a instituição seja obrigada a contabilizar mais uma perda bilionária neste trimestre.

"Os números da economia norte-americana que saíram na sexta-feira com o mercado (brasileiro) fechado foram números bons, mas o que está impactando mesmo é esse problema todo do setor financeiro norte-americano", disse Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento, em referência ao relatório de emprego nos Estados Unidos.

Os dados de sexta-feira do governo norte-americano mostraram que a economia gerou mais empregos que o esperado em outubro, diminuindo a possibilidade de uma recessão.

A piora no cenário externo, porém, tinha um efeito limitado sobre o mercado de câmbio brasileiro devido à contínua entrada de dólares no país. Segundo Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora, "o diferencial de juros interno e externo, os saldos positivos da balança comercial... sustentam as perspectivas de apreciação para a moeda brasileira".

No ano, o país acumula entrada líquida de mais de 70 bilhões de dólares.