Dow e S&P 500 sobem com financeiras mas têm queda na semana

sexta-feira, 5 de setembro de 2008 18:28 BRT
 

Por Kristina Cooke

NOVA YORK (Reuters) - As ações norte-americanas fecharam sua pior semana desde maio com ganhos modestos nesta sexta-feira, à medida que a procura por papéis baratos do setor financeiro compensaram um relatório do governo mostrando que o mercado de trabalho nos Estados Unidos se deteriorou ainda mais.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 0,29 por cento, para 11.220 pontos, enquanto o Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,44 por cento, para 1.242 pontos. Já o termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,14 por cento, para 2.255 pontos.

Na semana, o Dow Jones caiu 2,8 por cento, o S&P recuou 3,2 por cento e o Nasdaq teve desvalorização de 4,7 por cento.

Notícias de que a taxa de desemprego saltou para o maior nível em cinco anos se somaram a preocupações com os gastos do consumidor e alimentaram temores sobre a piora do crescimento econômico global. Esses temores atingiram as ações durante toda a semana, deixando o S&P 500 com o pior desempenho semanal desde maio.

O Nasdaq ficou atrás dos demais índices nesta sexta-feira e teve a sua pior semana desde janeiro, puxado por ações tecnológicas de peso. Analistas disseram que o setor de tecnologia está entre os mais vulneráveis à desaceleração global por causa de sua exposição aos mercados estrangeiros.

Mas as ações financeiras se recuperaram, ajudando o Dow e o S&P 500 a subir. O Lehman Brothers avançou 6,8 por cento para 16,20 dólares após fontes ligadas ao assunto afirmarem que a Blackstone Group LP e Kohlberg Kravis Roberts & Co [KKR.UL] estão procurando comprar partes das unidades imobiliária e de gerenciamento de ativos do Lehman.

"Nós recebemos a má notícia da folha de pagamento e a taxa de desemprego nesta manhã, mas dado o fato de termos caindo tanto ontem, estamos vendo um pouco de alta com investidores procurando realizar bons negócios (com os preços das ações em baixa)", disse Bucky Hellwig, vice-presidente sênior da Morgan Asset Management.