Alimentos dão alívio e IPC da Fipe sobe 0,45% em julho

terça-feira, 5 de agosto de 2008 06:56 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A inflação ao consumidor em São Paulo desacelerou mais que o esperado em julho, graças à menor pressão dos alimentos e à queda nos preços dos gastos com vestuário e habitação.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,45 por cento no mês passado, ante alta de 0,96 por cento em junho, informou nesta terça-feira a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Economistas consultados pela Reuters previam uma taxa de 0,50 por cento para julho, de acordo com a mediana de 22 estimativas. Os prognósticos oscilaram de 0,45 a 0,60 por cento de alta, resultado em uma média de 0,51 por cento.

Os custos do grupo Alimentação avançaram 1,07 por cento em julho, contra alta de 2,87 por cento em junho. A variação dos preços do grupo respondeu por 54 por cento da alta do IPC em julho.

Os preços do grupo Despesas Pessoais subiram 1,19 por cento, a maior alta percentual do período.

Dois grupos que compõem o IPC registraram deflação no período. Os custos com Habitação tiveram variação negativa de 0,09 por cento. Os preços de Vestuário, por sua vez, caíram 0,03 por cento em julho.

O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo de famílias com renda até 20 salários mínimos.

De janeiro a julho deste ano, a inflação ao consumidor em São Paulo acumula alta 4,27 por cento. Nos últimos 12 meses, a alta foi de 6,03 por cento.

(Reportagem de Renato Andrade; Edição de Vanessa Stelzer)