Surfe anima Derly; Edinanci se concentra em medalha inédita

terça-feira, 5 de agosto de 2008 11:53 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

PEQUIM (Reuters) - O judoca meio-leve João Derly chegou a Pequim com a convicção de conquistar uma medalha de ouro, depois de um período de aclimatação ao forte calor asiático no Japão, onde ele aproveitou até para surfar.

"Eu estou entrando para ganhar a competição, a gente tem condições disso até pela preparação que tivemos agora. Dá para sair sim com medalha e quem sabe com medalha de ouro", afirmou o judoca debaixo de um forte sol na chegada da equipe brasileira na Vila Olímpica.

"Peguei uma prancha de um japonês numa praia de Katsuura, peguei três ondinhas e deu para me divertir e esfriar um pouco a cabeça", afirmou o judoca bicampeão mundial, que é uma dos favoritos à medalha em sua categoria em Pequim.

O colega de equipe Tiago Camilo, prata nos Jogos Olímpicos de Sydney (2000) e candidato ao posto de melhor atleta olímpico na história do judô brasileiro depois de Aurélio Miguel, que conquistou medalhas de ouro (1988-Seul) e bronze (1996-Atlanta), é mais contido e prefere evitar fazer apostas.

"Quero viver intensamente, luta por luta. Nesta Olimpíada quero encarar cada adversário como o principal adversário, estamos rodando faz um tempo no circuito e todo mundo sabe mais ou menos o estilo de todo mundo", disse o meio-médio na chegada da equipe na Vila.

Aos 26 anos, Camilo afirma ter amadurecido como atleta. "A gente aprende e amadurece como atleta. Foram muitos anos batalhando sem deixar de acreditar que eu posso realizar aquilo (prata em Sydney) de novo."

Também apostando na experiência desde a trágica derrota em Sydney, o ligeiro Denílson Lourenço, se diz mais "rodado" e mais preparado psicologicamente e taticamente.

Em Sydney, ainda com problemas de miopia e astigmatismo que o obrigavam a decorar o placar ao mesmo tempo em que se concentrava no adversário, foi eliminado depois que esqueceu que perdia por koka em uma das lutas. Depois da derrota, passou por cirurgia para correção da visão e hoje, oito anos depois, diz que a vista "é um problema a menos, estou enxergando tudo".   Continuação...

 
<p>Surfe anima Derly; Edinanci se concentra em medalha in&eacute;dita. O judoca meio-leve Jo&atilde;o Derly chegou a Pequim com a convic&ccedil;&atilde;o de conquistar uma medalha de ouro, depois de um per&iacute;odo de aclimata&ccedil;&atilde;o ao forte calor asi&aacute;tico no Jap&atilde;o, onde ele aproveitou at&eacute; para surfar. Foto do Arquivo. Photo by Bruno Domingos</p>