Cabo eleitoral é preso no Rio por boca-de-urna na Rocinha

domingo, 5 de outubro de 2008 14:12 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 5 de outubro (Reuters). Até o momento, apenas uma pessoa foi presa na cidade do Rio de Janeiro por fazer boca-de-urna, prática proibida pela legislação eleitoral em dia de votação.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil prenderam um cabo eleitoral do vereador Claudinho da Academia (PSDC) na comunidade da Rocinha, que está cercada por homens das Forças Armadas.

Várias pessoas vestidas com camisas amarelas faziam propaganda irregular na Via Ápia, principal rua da comunidade, quando um foguetório anunciou a chegada da polícia. Os cabos eleitorais fugiram, com exceção de um homem, que está detido na Delegacia da Gávea, na zona sul.

Em julho deste ano, Claudinho da Academia fora acusado de ser o candidato escolhido pelo tráfico de drogas da Rocinha, depois que policiais apreenderam documentos que pregavam o apoio irrestrito ao líder comunitário. Ele faz parte da coligação do senador Marcelo Crivella (PRB), que aparece em segundo lugar nas últimas pesquisas eleitorais, tecnicamente empatado com Fernando Gabeira (PV).

Segundo balanço do TRE, 249 urnas foram substituídas até o início da tarde no Estado do Rio, o que representa 0,65 por cento das seções eleitorais da região. O órgão informou que o número é considerado insignificante.Não houve casos de troca da urna eletrônica pelo sistema de votação por papel no Estado.

(Reportagem de Carla Marques; edição de Renato Andrade)