Governo pode tomar usinas do Madeira ou fazer novo leilão--Lobão

terça-feira, 5 de agosto de 2008 18:30 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou na terça-feira que o governo está pronto para assumir a construção das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, caso os consórcios vencedores dos leilões iniciem uma disputa judicial que paralise as usinas.

Outra alternativa estudada pelo governo, segundo Lobão, é a realização de um novo leilão para licitar os dois projetos no rio Madeira.

"O governo assumiria através da Eletrobrás as duas obras ou faria outro leilão prontamente", disse Lobão a jornalistas, depois de reunião com o subsecretário de Energia dos Estados Unidos, Jeffrey Kupfer.

Lobão, no entanto, acredita que os dois consórcios chegarão a um acordo e que o Executivo não precisará intervir.

"O governo não tem nenhum interesse em quebra de contrato. Tem interesse que as obras sejam realizadas por esses consórcios ganhadores", ponderou.

O consórcio Odebrecht/Furnas, que ganhou a licitação para a construção da usina de Santo Antônio, questiona a vitória da Suez para a obra de Jirau, alegando que a mudança no local do projeto permitiu a apresentação de um menor preço por parte da empresa concorrente.

Se a disputa judicial ocorrer o governo ameaça intervir porque não sabe até quando a Justiça concluiria o julgamento do caso. "Temos um planejamento energético que não permite atrasos no cronograma", disse Lobão.

No encontro com Kupfer, Lobão procurou saber como os EUA lidam com o lixo nuclear produzido por suas usinas. A preocupação de Lobão se deve às exigências que o Ministério do Meio Ambiente faz para conceder licença de operação à usina de Angra 3. (Reportagem de Fernando Exman)