Câmara argentina aprova alta da taxa sobre exportações agrícolas

sábado, 5 de julho de 2008 15:11 BRT
 

Por Walter Bianchi

BUENOS AIRES (Reuters) - A Câmara dos Deputados da Argentina aprovou neste sábado uma lei que apoia a controversa alta das taxas de exportação de soja que a presidente Cristina Krichner impôs em março sob forte oposição do setor agrícola do país.

A lei, que ainda precisa da aprovação do Senado, passou por 128 votos a 122 na Câmara, após 17 horas de debate.

Esperando acabar com a crise política, Cristina pediu para que o Congresso votasse sobre a taxa de exportação que seu governo colocou em vigência em março e que aumentou a arrecadação nas exportações de soja --principal produto do país.

Agricultores revoltados pediram para que o governo desistisse da medida. Antes da votação, agricultores ameaçaram lançar uma nova rodada de protestos caso a lei fosse aprovada.

Os agricultores realizaram uma série de protestos nos últimos três meses e meio, em oposição à medida, alimentando a alta dos preços globais da soja e interrompendo as exportações do país, um dos maiores fornecedores de soja, milho, trigo e carne do mundo.

O conflito acendeu a maior crise no país em seis anos e atingiu a popularidade de Cristina Kirchner em um momento em que muitas economias latino-americanas estão crescendo graças as exportações de produtos agrícolas e de recursos naturais.

Cristina usou uma ordem executiva para implementar o imposto. Mas após meses de tensões políticas, ela buscou mais apoio no Congresso, onde o partido de situação Peronista detém maioria.