Junta de Mianmar busca quatro monges que lideraram protestos

sexta-feira, 5 de outubro de 2007 22:58 BRT
 

YANGON (Reuters) - A junta militar que governa Mianmar está na busca de quatro monges que acusa de serem os principais líderes das maiores manifestações contrárias ao governo em 20 anos em Yangon, principal cidade do país, informou a televisão estatal.

A MRTV informou que mais de 400 monges e 188 homens e mulheres foram libertados desde sua detenção em operações de tropas do governo e da polícia em 18 monastérios budistas dentro e nos arredores de Yangon na semana passada.

"Quatro monges ativistas escaparam de serem presos quando seus monastérios foram invadidos e as autoridades solicitaram aos monges mais experientes que ajudem a expô-los e encontrá-los pelos interesses da religião", disse a MRTV no final da sexta-feira.

Outros 109 monges e nove homens ainda estão sendo interrogados. A emissora não deu detalhes sobre outras cidades e regiões onde os protestos foram esmagados.

A junta militar disse que "a menor força possível" foi usada para pôr fim às manifestações que começaram com pequenas marchas contra as altas nos preços de combustíveis em agosto.

A junta diz que 10 pessoas morreram durante a repressão, mas governos ocidentais disse que o número de vítimas é provavelmente bem maior.

(Por Aung Hla Tun)