Desemprego nos EUA surpreende e é mais alto desde 2003

sexta-feira, 5 de setembro de 2008 10:45 BRT
 

Por Glenn Somerville

WASHINGTON (Reuters) - A taxa de desemprego nos Estados Unidos subiu inesperadamente para 6,1 por cento em agosto, maior nível em quase cinco anos, após o oitavo mês seguido de fechamento de postos de trabalho.

O Departamento de Trabalho informou nesta sexta-feira que 84 mil empregos foram eliminados em agosto, número significativamente maior que os 75 mil previstos por economistas ouvidos pela Reuters. Os cortes de julho e junho foram elevados após revisão, de 51 mil em cada mês para 60 mil e 100 mil, respectivamente.

Analistas disseram qus os dados mostram uma economia em enfraquecimento, o que provavelmente vai obrigar o Federal Reserve a manter o juro em nivel baixo por um período longo.

"A economia está claramente se deteriorando", disse Gary Thayer, economista sênior do Wachovia Securities, em St Louis. "Estamos vendo fraqueza no resto do mundo também, então há menos razão para o Fed se concentrar na inflação e mais razão para tentar colocar a economia de volta no lugar."

As bolsas de valores abriram em queda e o preço dos Treasuries subiu, indicando a aposta dos investidores na manutenção do juro. O dólar perdia valor em relação às principais moedas, e os juros futuros de curto prazo começavam a sinalizar que o Fed pode reduzir a taxa básica este ano.

Funcionários do Departamento de Trabalho disseram que a taxa de desemprego de agosto foi a maior desde setembro de 2003. Analistas esperavam que se mantivesse em 5,7 por cento.

"Estamos com perdas de emprego tipicamente vistas nos estágios iniciais de uma recessão econômica", disse David Resler, economista-chefe da Nomura Securities em Nova York. "Provavelmente estamos em uma."

As contratações tiveram queda acentuada em quase todos os setores. Cerca de 61 mil empregos foram perdidos no setor manufatureiro, a maior baixa mensal desde meados de 2003, e 8 mil postos foram fechados na construção. Em serviços profissionais e de negócios, 51 mil vagas foram eliminadas, além de mais 4 mil nos setores de lazer e hospitalidade.   Continuação...