BOLSA EUROPA-Mercados recuam sob peso do setor bancário

segunda-feira, 5 de novembro de 2007 08:48 BRST
 

Por Blaise Robinson

PARIS, 5 de novembro (Reuters) - As bolsas de valores da Europa operavam em queda nesta segunda-feira, recuando pela terceira sessão consecutiva por conta de preocupações com a amplitude da crise de crédito.

As ações de bancos estavam entre os papéis mais atingidos pelos receios dos investidores, depois que o chairman e presidente-executivo do Citigroup (C.N: Cotações), Charles Prince, renunciou no domingo e após a instituição informar que pode registrar baixas contábeis de 11 bilhões de dólares relacionadas a perdas com hipotecas de alto risco. Os 11 bilhões se somariam aos 6,5 bilhões de dólares em baixas contábeis registradas no trimestre passado.

Às 8h42 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3, que reúne as principais ações européias, recuava 0,83 por cento, a 1.546 pontos. Desde quarta-feira, o indicador perdeu cerca de 3 por cento de seu valor, uma queda influenciada por preocupações renovadas de que as instituições financeiras não revelaram o impacto completo da crise no mercado de crédito em seus livros.

"O fato do Citigroup poder anunciar até 11 bilhões de dólares está renovando os temores com relação aos problemas dos créditos de alto risco. Isso atingiu as ações no Japão e faz a mesma coisa aqui", disse Edmund Shing, estrategista do BNP Paribas, em Paris.

"As pessoas vão voltar a se preocupar com o Credit Suisse, UBS, Deutsche Bank e outros", acrescentou.

Com isso, as ações dos bancos exibiam perdas na sessão. Barclays (BARC.L: Cotações) recuava 4 por cento, Deutsche Bank (DBKGn.DE: Cotações) tinha queda de 3 por cento e HSBC (HSBA.L: Cotações) caía 2 por cento.

Bancos em várias partes do mundo assumiram encargos de bilhões de dólares gerados por ativos baseados em hipotecas, que por sua vez foram impactados por aumento de inadimplência nas hipotecas concedidas nos Estados Unidos.

Fora do setor bancário, a controladora da fabricante de aviões Airbus, EADS EAD.PA, caía 3,8 por cento depois que informou que vai assumir encargos de entre 1,2 bilhão e 1,4 bilhão de dólares relacionados a atrasos nas entregas da aeronave militar A400M.   Continuação...