CÂMBIO-Dólar recua e aguarda reação a dados norte-americanos

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 11:06 BRST
 

SÃO PAULO, 5 de dezembro (Reuters) - O dólar operava em baixa nesta quarta-feira, ao redor de 1,80 real, monitorando o comportamento dos mercados estrangeiros à espera de dados sobre a economia dos Estados Unidos.

Às 11h06, a moeda norte-americana BRBY era cotada a 1,801 real, em baixa de 0,55 por cento. Na terça-feira, o dólar subiu 0,84 por cento.

O mercado refletia a ligeira diminuição na aversão ao risco no exterior, que na véspera impulsionou o dólar para uma alta de 2 por cento durante os negócios.

Segundo Marcelo Voss, economista-chefe da corretora Liquidez, essa melhora geral foi ajudada por notícias, minimizadas pelo governo britânico, de que o banco Northern Rock NRK.L poderia ser nacionalizado para superar a crise do subprime (crédito de alto risco).

O mercado, porém, operava com expectativa quanto a indicadores sobre a economia dos Estados Unidos. Às 11h15 (horário de Brasília), sai o relatório sobre o emprego no setor privado. Às 11h30, é divulgado o relatório sobre produtividade,e às 13h, saem os dados sobre encomendas à indústria e atividade no setor de serviços.

De acordo com Voss, os números podem indicar se o Federal Reserve vai cortar os juros em 0,25 ponto percentual na próxima semana, como esperado, ou se vai reduzir a taxa em 0,5 ponto percentual para dar um impulso maior ao crescimento.

A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que anuncia no começo da noite a nova meta para a Selic, não tem repercussão sobre o mercado, já que há unanimidade quanto à manutenção dos juros a 11,25 por cento ao ano.

A maior expectativa, segundo o economista, reside na ata da reunião, que será divulgada na semana que vem. Mas mesmo assim, não se espera muitas novidades no documento.

"Provavelmente vai ser uma ata sem graça, porque ele (Copom) não tem como assumir uma avaliação mais detlhada sem saber a posição do Fomc (comitê do Fed que define os juros norte-americanos)", disse.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Renato Andrade)