Governo e oposição sinalizam votação da CPMF na quinta-feira

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 13:31 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Governo e oposição indicaram que a emenda que prorroga a CPMF até 2011 será votada na quinta-feira pelo plenário do Senado.

"A intenção da oposição é votar. A posição da base de apoio do governo é votar", disse a jornalistas nesta quarta-feira o presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC), admitindo que o placar ainda está indefinido.

O senador José Agripino Maia (RN), líder do Democratas, disse que a votação está "madura". "Estamos desejosos de ver esse assunto ser discutido amanhã. Está madura a votação e os votos estão definidos", afirmou.

O senador Arthur Virgílio (AM), líder do PSDB, acompanhou. "Nós do PSDB estamos à disposição do governo para votar amanhã. Mobilizaríamos a oposição e imagino que o governo mobilize sua aguerrida base para a contenda", afirmou.

A oposição reagiu a apelo do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ao apresentar seu parecer às emendas à CPMF na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Jucá derrubou as 19 emendas de plenário, na tentativa de evitar que a emenda da CPMF retorne à Câmara dos Deputados. Entre as eliminadas está a sugestão de redução gradual da contribuição alegando que o governo já se comprometeu com a medida. Os integrantes da CCJ ainda votam nesta tarde o parecer de Jucá.

O governo promete reduzir a alíquota da CPMF --atualmente em 0,38 por cento-- a partir de 2008, até que ela caia para 0,30 por cento, em 2011.

O senador apenas acolheu parcialmente, por meio de emenda de redação, cinco emendas corrigindo o número de um artigo que consta da proposta.

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do governo Lula chegou à Câmara dos Deputados em 23 de abril e foi aprovada em 10 de outubro, quando seguiu para o Senado, onde são necessários 49 votos para aprová-la.

(Reportagem de Carmen Munari)