December 5, 2007 / 8:08 PM / in 10 years

ANP fará mais um leilão de biodiesel para garantir estoque

4 Min, DE LEITURA

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 5 de dezembro (Reuters) - A preocupação com a falta de regularidade no abastecimento de biodiesel fará o governo realizar mais um leilão do combustível até o dia 20 deste mês para formar estoque, informou o diretor-geral da Agência Nacional, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Haroldo Lima.

No dia 1o de janeiro de 2008, começa a vigorar no Brasil a lei que exige a mistura de 2 por cento de biodiesel ao diesel vendido nos postos de abastecimento, um volume de cerca de 840 milhões de litros para atender ao consumo anual de 40 bilhões de litros de diesel.

Nos primeiros cinco leilões da autarquia foram vendidos 885 milhões de litros mas entregues apenas 650 milhões de litros, o que obrigou a ANP a realizar mais dois leilões. Nos dois últimos leilões o volume atingiu 380 milhões de litros, mas as entregas estão previstas apenas para 1o de janeiro de 2008 e 30 de junho de 2008.

Apesar dos sete leilões já realizados, problemas de preço e logística, principalmente, levaram produtores a não entregar o produto à Petrobras (PETR4.SA), única compradora dos leilões da ANP junto com a sua subsidiária Refinaria Alberto Pasqualini (Refap).

"Algumas empresas, aliás, grandes empresas, venderam quantidades grandes (de biodiesel) e não entregaram... a partir de um determinado momento, ante a hipótese de ter leilões com preços maiores, elas se reservaram o direito comercial de vender ao preço maior", admitiu Lima, após palestra na Câmara Britânica de Comércio.

Lima explicou que no início dos leilões não havia punição para as empresas que não entregassem a produção, o que foi alterado, e por este motivo a ANP não teme problemas no ano que vem.

"Hoje não podemos dizer que estamos abarrotados de biodiesel, mas o programa de biodiesel vai começar no ano que vem com aproximadamente 72 milhões de litros de reserva, inclusive", frisou o executivo.

No leilão de reservas previsto para este mês Lima estima a compra de pelo menos 150 milhões de litros do produto.

Dentro da ANP outros executivos se preocupam em relação à logística de distribuição. Segundo um diretor que não quis ser identificado, não há como distribuir biodiesel pelos 5.500 postos do país de uma hora para outra, "e a bomba vai estourar na nossa mão", afirmou à Reuters.

Para o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), Alísio Vaz, apesar da preocupação com a logística, o setor está se preparando para cumprir a lei a partir de janeiro.

"Por parte das empresas do Sindicom estaremos prontos no dia 1o de janeiro, já estamos formando estoques agora em dezembro para que os nossos clientes recebam B2 (dois por cento de biodiesel misturado ao diesel)", afirmou Vaz.

As empresas filiadas ao Sindicom representam 80 por cento do mercado de diesel, segundo o executivo, e estão adaptando 125 bases de distribuição para operar com B2 no próximo ano. Ao todo estão sendo investidos 100 milhões de reais, e a estimativa é de venda de 700 milhões de litros de biodiesel em 2008.

Colaborou Rodrigo Viga Gaier; Edição de Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below