BCE mantém juro da zona do euro e vê risco de inflação

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007 12:15 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) manteve a taxa básica de juro da zona do euro em 4,0 por cento nesta quinta-feira, como esperado, resistindo à tendência global de flexibilização da política monetária.

Após a decisão, o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, afirmou que a instituição está pronta para agir e conter os riscos inflacionários. Segundo ele, os fundamentos da economia da zona do euro continuam sólidos, mas as turbulências no mercado financeiro significam incertezas.

Os acontecimentos "confirmaram totalmente nossa avaliação de que há riscos de alta à estabilidade dos preços no médio prazo", acrescentou Trichet.

O presidente do BCE também deixou claro que não está baixando a guarda sobre os efeitos secundários dos elevados preços do petróleo.

"Vamos garantir que os efeitos secundários e os riscos à estabilidade dos preços não se materializem", disse.

De acordo com pesquisa feita pela Reuters, todos os 72 economistas consultados esperavam a manutenção da taxa.

A maioria também acredita que a política monetária deve se manter ao longo de 2008, à medida que o BCE enfrenta aumento das pressões inflacionárias, por um lado, e riscos de desaceleração econômica, por outro.

O Banco da Inglaterra anunciou mais cedo um corte de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros da Grã-Bretanha, para 5,5 por cento.

Na quarta-feira, o Banco do Canadá surpreendeu e reduziu o juro também em 0,25 ponto percentual.

Economistas esperam um novo corte de juro nos Estados Unidos na reunião do Federal Reserve no próximo dia 11.