Governo vai recorrer a MPs se Orçamento atrasar, diz Bernardo

quinta-feira, 6 de março de 2008 14:18 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Ao comentar a demora do Congresso na votação do Orçamento de 2008, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou que o governo poderá editar medidas provisórias para evitar a paralisação de obras importantes.

"Eu vou chegando a um ponto em que na hora em que algum ministro convencer o presidente de que uma obra pode parar porque não tem orçamento, nós vamos mandar uma medida provisória para resolver esse problema", disse Paulo Bernardo a jornalistas ao deixar reunião no Ministério do Planejamento com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e a bancada petista.

"Alguns acham que nós abusamos de medidas provisórias, mas vejam este caso. O Congresso não vota o orçamento e eu vou ficando em situação de pressão enorme", disse o ministro, referindo-se à queixa de parlamentares de que o excesso de MPs prejudica o trabalho do Congresso.

Paulo Bernardo afirmou que os 35 bilhões de restos a pagar (dívidas de orçamentos anteriores passadas para exercícios seguintes) estão em investimento, mas em alguns ministérios este dinheiro já está acabando.

"De fato eu tenho um problema, eu preciso executar o Orçamento", disse o ministro, lamentando o atraso na votação.

(Reportagem de Isabel Versiani)