Siderúrgicas e mineradoras retomam negociações em fevereiro

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008 11:45 BRST
 

Por Lucy Hornby e Nao Nakanishi

PEQUIM/HONG KONG (Reuters) - A China pode tentar frustrar a fusão de duas das suas maiores fornecedoras de minério de ferro, mas esta ação não impedirá que as siderúrgicas do país sejam atingidas por um aumento nos preços da matéria-prima no fim deste mês, quando ocorre a próxima rodada de negociação com as mineradoras.

Autoridades da indústria de aço chinesa sugeriram que podem aceitar um incremento nos preços de 30 por cento para o ano que tem início em abril. No entanto, esta alíquota pode ser ofuscada pelas cotações dos minérios no mercado à vista, atualmente equivalentes a praticamente o dobro do valor registrado em meados do ano passado.

"Acredito que um avanço de 50 a 70 por cento ainda é possível. Ainda assim seria menor do que os preços do minério (de ferro) para pronta entrega", disse um trader de Pequim que comercializa minério de ferro no mercado à vista.

Analistas que há alguns meses esperavam por um aumento modesto nos preços agora estimam um crescimento de mais de 50 por cento.

Acredita-se que as mineradoras BHP Billiton e Rio Tinto --responsáveis por cerca de 40 por cento das importações chinesas de minério de ferro -- buscarão um incremento de 70 por cento nos preços.

Na quarta-feira, a BHP formalizou uma oferta de 147 bilhões de dólares pela Rio Tinto, mas a chinesa Chinalco poderia bloquear a aquisição após ter adquirido 9 por cento da mineradora australiana em parceria com a canadense Alcoa .

NEGOCIAÇÃO EM FEVEREIRO

As siderúrgicas chinesas, representadas pela Baosteel, a maior produtora de aço do país, devem retomar as negociações sobre os preços em 2008 no final de fevereiro, após o feriado do Ano Novo Lunar iniciado na quarta-feira.   Continuação...