Merkel e Sarkozy dizem que Irã ainda é ameaça

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007 21:25 BRST
 

PARIS (Reuters) - Alemanha e França afirmaram nesta quinta-feira que o programa nuclear do Irã ainda é uma ameaça, e que a busca por mais sanções da ONU deve continuar mesmo após um relatório da inteligência dos Estados Unidos ter afirmado que Teerã não está mais em busca de uma bomba nuclear.

Em uma coletiva de imprensa conjunta com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que a atual política de preparação de sanções contra Teerã, ao mesmo tempo que deixa as portas abertas para negociações, deve continuar.

"Eu acho que ainda estamos em um processo e que o Irã ainda representa uma ameaça", disse Merkel, acrescentando que conversas entre o mediador Javier Solana e o alto negociador nuclear iraniano deve continuar.

Sarkozy afirmou que concorda totalmente com Merkel, acrescentando: "O que levou às medidas do Irã até agora são sanções e firmeza".

O Irã alega que, com seu programa nuclear, apenas almeja a geração de eletricidade e tem o direito de enriquecer urânio.

Os Estados Unidos dizem que continuarão pressionando por uma terceira rodada de sanções, e seus mais próximos aliados nesta questão, França e Grã-Bretanha, anunciaram que manterão suas posições.

(Por Francois Murphy)

REUTERS AS ES